Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Mamáyev Kurgán

Oi, gente!

Sumidão né? ... Pois é. Muitos problemas extra-blog e... enfim... Mas vamos para mais um post...


O post seria direcionado somente à estátua da Mãe-Pátria, mas observando melhor todo o complexo onde ela está, não seria justo!

Durante a Copa do Mundo disputada na Rússia, alguns "takes" televisivos da Arena Volvogrado mostravam, mesmo que por apenas instantes, a majestosa estátua, ali, ao seu lado. Então, aos que ainda não conhecem, sejam bem vindos ao complexo memorial militar de Mamáiev Kurgán:


Mamáyev Kurgán (russo: Мамаев Курган) é, na verdade, uma colina que se ergue dominante sobre a cidade de Volgogrado (ex-Stalingrado) e cujo nome em russo significa "túmulo de Mamái" (um guerreiro ucraniano do século XIV.)

Nela existe um grande memorial que rende homenagem aos combatentes da Batalha de Stalingrado, ocorrida entre agosto de 1942 e fevereiro de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial, e que foi uma das mais sangrentas batalhas da história da humanidade. 

Encimando a colina, encontra-se a monumental estátua Mãe-Pátria, com seus 85 metros de altura, erguida em honra daqueles que morreram na batalha defendendo o solo pátrio.


Quando as tropas da Wehrmacht da Alemanha nazista lançaram seu ataque sobre Stalingrado em fins de agosto de 1942, a colina de Mamáyev Kurgán foi palco de uma das mais sangrentas lutas da batalha.

A tomada da colina era de grande interesse estratégico para ambos os lados, alemães e soviéticos, porque seu controle significava o controle sobre a cidade.

Para defendê-la, os soviéticos construíram fortes linhas de defesa nas encostas da colina, incluindo trincheiras, campos de minas e linhas de arame farpado. Os alemães lançaram fortes ataques contra a área, sofrendo pesadas baixas.

Quando finalmente capturaram a colina, começaram a usar da artilharia em seu cimo contra o centro da cidade, principalmente sobre a estação ferroviária de Stalingrado, ocupada pelos defensores, capturada a 14 de setembro de 1942.


No mesmo dia, a 13ª Divisão de Guardas de Rifle, comandada pelo general Alexandr Rodimtsev, chegou à cidade através do rio Volga, sob pesado fogo da artilharia alemã e seus dez mil homens entraram imediatamente em combate, recapturando a colina no dia 16 e lutando para reconquistar a estação ferroviária, tomada pelos alemães, sofrendo pesadas baixas.

Soldados da 13ª Divisão de Guardas de Rifle com o Coronel-General Alexandr ao fundo

No dia seguinte, quase todos os soldados da divisão pereceram no combate.

Os soviéticos continuaram reforçando suas forças o mais rápido possível com todos os meios humanos disponíveis e durante todo o dia, ataques e contra-ataques dos dois lados causaram grande mortandade entre as duas tropas inimigas.

← Coronel-General Alexandr Rodimtsev

E assim, Mamáyev mudou de mãos diversas e diversas vezes.

Em 27 de setembro, os alemães recapturaram metade da colina, mas os soviéticos permaneceram entrincheirados em suas posições nas encostas e assim permaneceram até 23 de janeiro de 1943, quando a contra-ofensiva de inverno encurralou e destruiu as tropas alemãs em Stalingrado.

Ao final, o solo ensanguentado estava arado e coberto de fragmentos de metal e corpos.

O terreno da colina havia continuado negro no inverno, porque a neve se dissolvia a meio de centenas de explosões diárias numa pequena área. Na primavera seguinte ele continuou negro, devido à vegetação não crescer no solo revolvido e contaminado. As encostas íngremes da colina se tornaram rasas e gastas, pelos intensos e contínuos bombardeios.


Ainda hoje, é possível encontrar fragmentos de ossos e lascas de metal enterrados no solo de Mamáyev Kurgán.

- - -

Após a guerra, entre 1959 e 1967, o governo soviético construiu um enorme memorial de guerra na colina, encimado por um gigantesco monumento, chamado de Mãe-Pátria, erguido no topo de Mamayev Kurgán e dominando o horizonte da cidade de Stalingrado (hoje Volgogrado).

Mapa (Google Maps) do local do complexo

Blog: Pelo mapa, nota-se como a Arena Volvogrado e o complexo são muito próximos.

A estátua de concreto, uma figura evocativa da deusa grega da vitória Nice, empunhando uma espada de aço para o alto, tem 85 m de altura da ponta da espada ao solo e quando de sua inauguração, era a maior do mundo.

                                                        Marechal Vassili Chuikov  →

O Marechal Vassili Chuikov, comandante do 62º Exército soviético, que defendeu a cidade e venceu os alemães em 1943, foi enterrado no memorial; o primeiro e único Marechal da União Soviética sepultado fora de Moscou.

- - -

Mãe-Pátria

Mãe-Pátria (russo: Родина-мать зовёт!) é um monumento erguido em Volgogrado, antiga Stalingrado, na Rússia.

Está no topo da colina de Mamáyev Kurgán, em honra à Batalha de Stalingrado.

O monumento foi desenhado pelo escultor Yevgeni Vuchetich (imagem abaixo).


Quando foi construída, em 1967, era a maior estátua do mundo.

Medindo 85 metros do topo de seu pedestal até a ponta da espada; A figura em si mede 52 metros e a espada mede 33 metros.


Quando o monumento foi terminado, a URSS estava com o poder nas mãos de Leonid Brezhnev.

A modelo que posou para a Mãe-Pátria, Valentina Izotova (imagem abaixo), é uma natural da cidade, e ainda é reconhecida pela semelhança com a estátua. Ela foi recrutada por Lev Maistrenko, um artista que trabalhou no memorial no início dos anos 60.


Há uma representação da estátua na Bandeira do Óblast de Volgogrado, adotada em 2000.


O monumento foi construído sob as ordens de Nikita Khrushchev para marcar a batalha de Stalingrado (antigo nome de Volgogrado) na Segunda Guerra Mundial, quando o Exército soviético conseguiu derrotar as forças da Alemanha nazista que invadiam a Rússia.



Além da colossal estátua, no complexo há ainda um Memorial de Guerra, onde constam os nomes de todos os militares russos que lutaram na batalha de Stalingrado, com uma Guarda de Honra Eterna - que mantém um simbolismo e é um "show" a parte na troca de turnos de guarda ... 




Somando-se à isso, estátuas, monumentos e uma grande área verde. Um belo local para "turistar" com certeza!

“Not one step back!"

Bashnya (Torre) de um tanque T-34

Curiosidade: Este monumento com a torre de um tanque T-34 soviético faz homenagem justamente à este grandioso blindado, que foi um dos mais notáveis durante o conflito na frente soviética.

Chorinho do Camisas & Manias:

O T-34 é um tanque médio soviético primeiramente produzido em 1940.


É até hoje considerado um dos melhores tanques da Segunda Guerra Mundial

Fora amplamente utilizado pelas forças soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial, e exportado em grande quantidade para muitos países após o conflito. Seu ultimo modelo, o T-34/85, ainda integra as forças armadas de muitos países subdesenvolvidos.

O T-34 fora considerado um dos melhores tanques da sua época por ter um excelente balanço de todos os aspectos essenciais para um carro de combate: poder de fogo, mobilidade, proteção, baixo custo e simplicidade.

Também foi o primeiro tanque de guerra a usar o sistema de blindagem angulada, o qual utiliza proteção sem ter que aumentar o peso do veículo. Tal pratica fora pioneira e é usada até hoje pelos MBTs modernos.


Todavia, a maximização de algumas características no T-34 não se deu sem perdas.

Sua blindagem angulada e silhueta reduzida, sacrificavam significativamente o espaço interno do veículo, tornando-o muito desconfortável à tripulação, principalmente durante viagens longas.

Entretanto, em batalha, mostrou-se superior em vários aspectos aos equivalentes alemães, britânicos e norte-americanos.

O seu ótimo desempenho contra os alemães, deu-se, principalmente, por sua superioridade numérica, pois era barato e simples de construir, o que lhe garantia vantagem contra os tanques alemães, geralmente mais pesados, mais caros e de maior complexidade de manutenção.

Oitentão ativo: Tanques do modelo T-34 foram recentemente usados por combatentes pró-Rússia no leste da Ucrânia.

O numero de unidades produzidas fora tão grande que em 1975, a União Soviética ainda detinha grandes quantidades de T-34 na reserva, apesar de há tempos o modelo já ter sido substituídos por modelos "T" mais novos como o T-44 e o T-55.

BLOG: Isso, aí pessoal. Post humilde, para mostrar que estou por aqui (risos), espero que gostem. Para cinéfilos que queiram filmes sobre a Batalha de Stalingrado, deixo algumas sugestões:


O primeiro é "Círculo de Fogo" - título brasileiro (prefiro o original: "Enemy at the Gates") que apesar de ser mais focado na história do famoso e herói "sniper" russo Vassili Zaitsev, é ambientado em Stalingrado e tem muitas cenas bacanas.

O segundo filme, é "Stalingrado, a batalha final" ... Bem, este é bem legal e tem cenas de batalhas bem realistas e fortes e conta um pouco sobre a batalha pela ótica russa e alemã (através de um capitão).


Obrigado e Grande Abraço!!!