segunda-feira, 9 de abril de 2018

ChiPs - O Filme (2017)


Os patrulheiros rodoviários Jon Baker (Dax Shepard) e Frank Poncherello (Michael Peña) têm uma missão: capturar uma gangue de assaltantes de carros exóticos que vem aterrorizando a Califórnia.


AVISO do C&M: As observações e notas do blog, não são, de maneira nenhuma, o retrato ou consenso comum de opinião. É só uma simples e humilde opinião do blog, na forma de um simplório bate-papo cinéfilo.

< ALERTA DE SPOILER! >

BLOG:


Como vocês devem ter percebido, O blog não se deu ao trabalho de inserir mais material para explicar melhor a sinopse deste filme de 2017 que é inspirado na épica e tão amada série de 1977/1983.

Mas tudo, absolutamente tudo, sobre a série CHiPs original, pára imediatamente por aí.


Quando vi as notícias, na época, sobre as filmagens, bastidores e alguns vídeos, confesso que fiquei muito empolgado sobre este suposto e merecido "remake" de CHiP's com o qual, nós, da geração dos seriados 80/90 conhecemos muitíssimo bem!

Afinal, qual o ardoroso amante de séries que não ficava empolgado nas noites (normalmente à mesa do jantar) ao ver na TV esta abertura inesquecível:


Mas, infelizmente, este filme de 2017 está longe de merecer tal fama.

Aliás, a sinopse é até mesmo bastante generosa, pois a história é muito mais "confusa" do que aparenta. Logo no início do filme, primeiro, temos uns "takes" de ação desnecessários para apresentação do Agente Especial do FBI Castillo (Michael Peña) que será o Frank Poncherello - entendeu ???

Pois é: Nessa nova versão, um dos adorados protagonistas da série original nem existe de verdade (!!!) e em seguida somos jogados dentro de uma "trama" de corrupção envolvendo a patrulha rodoviária da Califórnia, de forma igualmente confusa, que só depois, durante o filme vamos nos ambientando e entendendo um pouco. Isso, depois de passarmos muita raiva ao conhecer um "idiota" Jon Baker (?!?!?!?)...


Bem, resumindo: Filme cheio de piadas "forçadas", com mal gosto e chegando ao ridículo; a película não soma e nem é muito agradável. Para os fãs da série original (como eu!) fica um enorme vazio e outra grande decepção.

Os personagens principais são transformados em dois perfeitos idiotas, e reduzidos a dois simplórios condutores de motocicletas, sem um sentido crível e importante na trama, e ao meu ver, bem pior: entristecendo milhares de fãs, com certeza.

Nem a rápida participação especial de Erik Estrada (Jon Baker original) no final do filme como um paramédico, salvou o longa...

"Nem tu salvaste o filme, Erik!!!"

Filme fraco, com roteiro e cenas dignas de filme "pastelão". O Camisas & Manias nem vai dar uma nota.

* * *
*** Só lembrando que Larry Wilcox e o próprio Erik fizeram duras críticas ao filme. Vejam uma matéria sobre isso no link abaixo:


* * *
Mas, vale muito, citar rapidamente a série original:


CHiPs é/foi uma série americana, exibida em 6 temporadas, entre 1977 e 1983. É baseada nas aventuras de dois patrulheiros rodoviários em motocicletas na Califórnia. A sigla CHiP significa California Highway Patrol, ou Polícia Rodoviária da Califórnia

Nas primeiras temporadas, os episódios alternavam momentos de drama e comédia - sendo que está última tinham foco nas ações do patrulheiro porto-riquenho novato Poncherello. Já Baker era o "cérebro" da dupla, sempre exibindo certa impaciência com o seu parceiro. 


>>>  Curiosidades:

- Devido alguns problemas de bastidores e diferenças de popularidade dos personagens, algumas mudanças foram feitas pela produção da série, que não agradaram Wilcox, que alimentou uma rivalidade com Erik até deixar o programa antes da última temporada.

- Durante a série, o ator Erik Estrada sofreu um grave acidente de moto (agosto de 1979), ficando em coma por cinco dias, quase vindo a falecer. Este episódio ajudou a trazer mais fãs para o programa, pois todos queriam conhecer o ator que quase perdera a vida. O acidente foi introduzido na história de "Ponch", mostrando cenas dele no hospital e a sua recuperação com ajuda de uma bengala.


- CHiPs ajudou a melhorar a imagem dos policiais em todo o mundo, pois mostrava patrulheiros corajosos, solícitos e competentes, sempre atentos ao que ocorria de errado nas estradas. Além disso, havia o lado sem a farda: "Ponch" e Baker eram amigos fora do trabalho, e sempre se divertiam juntos. A série mostrava que, apesar da vida de policial, eles viviam um mundo bem igual ao da grande maioria das pessoas, o que ajudou no sucesso.

- No final dos anos 70 e início dos anos 80, CHiPs virou uma febre no mundo inteiro, principalmente com as crianças. Larry Wilcox veio ao Brasil e apareceu em comerciais e programas de auditório (Silvio Santos) vestido com seu uniforme de patrulheiro.

- No Brasil, a série foi a primeira a utilizar o merchandising como forma secundária de rentabilidade. Antes disso, a única renda disponível era a venda da série para as emissoras interessadas.


- Como o sucesso da série era grande entre as crianças, foram lançados uma série completa de brinquedos relacionados com a série, e confecções que produziam as roupas dos patrulheiros.

- A série foi exibida inicialmente no Brasil pela TVS, de 1979 até 1982, depois foi para a Rede Record de 1982 até o fim do ano de 1985. Depois foi exibida na Rede Bandeirantes, em 1988. A extinta Rede Manchete exibiu os episódios por volta de 1993. Foi exibida pelo canal de TV a cabo TCM da SKY em 2005 e novamente a partir de maio de 2009 no TCM (NET canal 91). No dia 1 de janeiro de 2018, a série passou a ser exibida nas tardes da TV Diário.


- Em 1999, foi feito o longa CHiPs 99 (imagem acima) com quase todo o elenco original da série, produzido pela TNT, e, exibido pela primeira vez no SBT.

Para encerrar, algumas cenas da série original:




GRANDE ABRAÇO!!!
Até a próxima!!!

Nenhum comentário: