Destaque da Semana

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Ensemble Alexandrov

Infelizmente, outra tragédia aérea no Mar Negro, vitimou mais um grupo inteiro.

Desta vez, foram artistas militares russos, famosos no mundo. Aqui no Brasil, talvez não tanto como deveriam ser conhecidos, mas, em forma de carinhoso tributo e homenagem, por favor tenham o prazer de conhecer a história do:



O “Ensemble Alexandrov” é um coro militar oficial das Forças Armadas Russas.

Fundado durante a era Soviética, o "ensemble" (pode-se considerar o termo “conjunto” numa tradução literal) consiste num coro masculino, uma orquestra e um corpo de dança.

Juntamente com o “Ensemble MVD”, é uma das únicas duas formações com o direito de usar o título de "Coro do Exército Vermelho".

O Ensemble Alexandrov tem alcançado sucesso não só em solo russo, mas também por todo o mundo, abrangendo as suas performances com vários tipos de música, incluindo obras de caráter folclórico, hinos, ópera e música de cunho popular, de que são exemplo: “O Canto dos Remadores do Volga”, “Katyusha”, “Kalinka”, e “Ave-Maria”.


O grupo recebeu o nome do seu primeiro diretor, Alexander Vasilyevich Alexandrov (1883-1946).

Desde 1998, o seu nome formal é Академический ансамбль песни и пляски Российской Армии имени А. В. Александрова (Akademichesky ensemble pesni i plyaski Rossiyskoy Armii imeni A. V. Alexandrova), que se pode traduzir literalmente como Ensemble Acadêmico de Música e Dança do Exército Russo com o nome de A. V. Aleksándrov  - O termo "música" aqui, adquirindo o sentido de "canção", abreviado em Академический ансамбль, (Akademichesky ensemble), ou Ensemble Acadêmico.

A. V. Aleksándrov

Nascido no seio de uma família de simples camponeses, Aleksándrov viria a tornar-se a figura pública que compôs a música do Hino Nacional da União Soviética. Professor, maestro, mestre de coro e foi o primeiro diretor artístico do Ensemble.
  • Origens do Ensemble
Há registro de duas histórias da origem do Ensemble - possivelmente elementos separados de uma mesma história:

A primeira versão alega que o impulsionador do Ensemble foi Félix Nikoláevich Danílovich, um diretor de teatro.

Catedral de Nossa Senhora de Cazã, São Petersburgo: Aqui, Aleksándrov, iniciou a formação do grupo.

O primeiro diretor do Ensemble foi escolhido por ele entre três maestros de Moscou: Danílin, Chesnokov e Aleksándrov. Neste ponto de vista, separadamente, este fato significaria então que A. V. Aleksándrov não teria, afinal, sido o “criador” do Ensemble. Nesta versão dos registros, a primeira formação contaria com os cantores Tkachenko, Ziúkov, Samarin, Rozanov, Koltípin, Tolskov, Goliaev, Charov, os dançarinos Maximov, Svetlov e um acordeonista: Surdin.

Já a segunda versão alega que o Ensemble foi formado por militares da casa de comandos do Exército Vermelho de Mikhail Frunze em 1928. Conta-se também que Stalin, pessoalmente, teria então pedido a Aleksándrov para deslocar o grupo para Moscou.

<< Josef Stalin em 1928.

Sob o nome de Ensemble da Canção do Exército Vermelho de M. V. Frunze, abreviado por "Coro do Exército Vermelho", doze soldados - um octeto de vozes, um acordeonista, dois dançarinos, e um recitador atuaram oficialmente, pela primeira vez, em 12 de Outubro de 1928, sob a direção do seu maestro Aleksándrov, um jovem professor de música no Conservatório de Moscou.


O programa desse concerto, intitulado de a 22ª Divisão de Música de Krasnodar (o termo "música" no sentido de canção), abrangeu como temática sobretudo pequenas cenas cotidianas da vida militar.
  • Desenvolvimento
Em 1929, o Ensemble visitou as distantes regiões do leste da União Soviética, com objetivo de entreter as tropas que trabalhavam nos Caminhos de Ferro do distante Oriente.

Com o intuito de desenvolver a arte amadora nos pelotões do exército e incentivar o interesse dos soldados em boa música, pelo ano de 1933, o Ensemble tinha crescido para cerca de 300articipantes, distribuídos por três coros masculinos, uma orquestra e um corpo de dançarinos.


O Coro do Exército Vermelho tornou-se conhecido como divulgador de canções soviéticas, dando voz a composições originais de compositores como Vasily Solovyov-Sedoy, Anatoli Novikov, Matvey Blanter e Boris Mokrousov.

Em 1935, o coro foi condecorado com a Ordem do Estandarte Vermelho e renomeado como "Ensemble de Música e Dança Exército Vermelho - Estandarte Vermelho da URSS"

Ordem do Estandarte Vermelho

*** Nota Necessária:

A Ordem do Estandarte Vermelho (em russo: Орден Крaсного Знамени) era um condecoração de alto grau outorgada pelo governo da União Soviética.

A ordem foi estabelecida em 16 de setembro de 1918, sendo o primeiro título do país.

 Até o estabelecimento da Ordem de Lênin, em 1930, o Estandarte Vermelho era a mais alta honra que poderia ser recebida do Estado soviético. A ordem era um reconhecimento de heroísmo extraordinário, dedicação e coragem demonstrados nos campos de batalha. O prêmio era dado a cidadãos, unidades militares, cidades, navios, organizações políticas e sociais e instituições.

Nos últimos anos de sua existência, a ordem também foi entregue a militares que cumprissem de 20 a 30 anos de carreira, sem que precisassem se envolver em combates.

Entre os premiados, estão as heróicas Frota do Pacífico e Frota do Báltico, o revolucionário Leon Trótski, os marechais Semion Timoshenko e George Jukov, o patriarca Pemeno I de Moscou, a atleta Nina Romashkova, o cosmonauta Evgueni Khrunov e o atirador Vassili Zaitsev.

*** - ***

Tendo viajado por toda a União Soviética, desde o norte ártico até ao Tajiquistão, o coro atuou na Exposição Universal de 1937 em Paris; conquistou o Grand Prix e a mais elevada distinção honrosa pelo júri.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Ensemble foi responsável por mais de 1.500 concertos em ambos "fronts" soviéticos, entretendo pelotões prestes a entrar em batalha, em plataformas de artilharia, aeródromos e hospitais.


Após a morte de Aleksándr Aleksándrov, a liderança do Ensemble ficou a cargo do seu filho, Bóris Aleksándrovitch Aleksandrov.

Foi sob a sua liderança que o Ensemble conquistou fama fora da União Soviética, fazendo shows por todo o mundo.

Dançarinos do Ensemble Aleksándrov, em 1951.

Igor Agafonnikov (Artista do Povo da Rússia), sucedeu a Bóris Aleksándrovitch em 1987 (ano em que este se reformou) com Anatoly Maltsev como o dirigente principal.


O Ensemble era extremamente disciplinado. Um dos atos mais famosos consistia em o diretor abandonar o palco, deixando o ensemble a interpretar "En Route" sozinho, sem maestro, ao que se depois se juntava ao grupo da forma como estavam posicionados. - nem todos os membros tinham contato visual com o maestro da orquestra neste momento.


Esta façanha dava a impressão da existência de qualquer embuste que a tornava possível; no entanto, não havia qualquer tipo de truque.

Leonid Mikhailovich Kharitonov relembra:

                                                                        Leonid Kharitonov >>>

"Os membros do Ensemble eram tão disciplinados e experientes, que conseguiam sentir o ritmo em conjunto, e eram capazes de cantar juntos automaticamente, sem maestro... No Canadá, durante um concerto, Bóris Aleksándrov deixou o Ensemble atuar sozinho durante uma hora e meia !"

Vladímir Aleksándrov (1910 - 1978), major, irmão de Bóris Aleksándrov, também compôs para o Emsemble.

Passou pelos cargos de Diretor de Orquestra e de Maestro.

Outros maestros notáveis: Vladímir Gordéev foi o Maestro principal durante a turnê do Reino Unido, em 1988.


Atualmente - desde 2003 - o Ensemble é dirigido por Vyacheslav Korobko,  Artista de Honra da Rússia.

Ao longo de muitos anos, o Ensemble tem colaborado com muitos artistas e produtores populares tais como: David Foster, Jean-Jacques Goldman e Steve Barakatt.
  • Acidente com o Tupolev-154 em 2016
Neste último Natal, dia 25 de dezembro de 2016, um avião Tupolev Tu-154 da Força Aérea Russa que voava de Sochi com destino à Síria caiu no Mar Negro, logo após a decolagem.

 Tupolev TU-154

Entre os passageiros, havia 64 membros do Ensemble Alexandrov, que iriam participar numa celebração de final de ano na base síria de Khmeimim.

Nenhuma das 92 pessoas a bordo sobreviveu ao desastre.

Conhecido por quase todas as ex-repúblicas socialistas, o Ensemble ganhou notoriedade em toda a Europa em 2009, durante o Eurovision Song Festival realizado em Moscou durante o intervalo da primeira semi-final.





À época, a apresentação foi bastante elogiada e simbolizou o investimento russo em educação e cultura. A atuação, em conjunto com a escola de música militar e uma companhia de teatro, foi bastante aplaudida.

Relativamente famosos internacionalmente, o conjunto também se apresentou na abertura das Olimpíadas de Inverno de Sochi, em 2014. Eles apresentaram o hit mundial "Get Lucky", do Daft Punk, novamente bastante elogiados pelos espectadores da apresentação. 

O coral seguia para a Síria, onde faria uma apresentação no ano novo. Apenas três coristas não estavam a bordo. Não houve sobreviventes desta terrível fatalidade.


BLOG:
O Camisas e Manias presta sua singela homenagem, e com muita tristeza lamenta o fatídico acidente que ceifou a vida desse grupo de artistas, bem como de repórteres que também seguiam no mesmo voo. Todos nós sempre vamos perder um pedacinho de nós, em tragédias dessa natureza. Vidas, tantas vidas sublimes que se vão, tão precocemente e de um jeito tão abrupto. Coisas dessa vida que nunca entenderemos de fato. Fica o enorme sentimento de tristeza e a nossa solidariedade com familiares, amigos e o povo da Rússia. Não é porque estamos aqui no outro lado do mundo, no Brasil, que não sabemos o tamanho da dor de uma perda dessa magnitude.  Sabemos, e sabemos bem, visto que situação tão semelhante aconteceu com nossos meninos da Chapecoense tão recentemente. Então, sim, temos noção da enorme dor que os envolvidos com o Ensemble estão sentindo neste momento. Fica o calor e carinho de nossas orações e pensamentos positivos.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Juneau/AK ... (American Police Patches) e mais...

Olá, pessoal.


E hoje aqui no C&M retomo a Série de Patches Policiais, com uma região pelo qual sou apaixonado: Alaska.

JUNEAU - ALASKA (AK)

Mas, como tenho feito nos últimos posts sobre esta série, antes, vamos ver um pouco da capital do estado do Alaska: Juneau.


Juneau é a capital do estado norte-americano do Alasca.


Fundada no ano de 1881, é ao mesmo tempo uma cidade e um dos 18 distritos organizados do estado, ou seja, possui o poder e o dever de fornecer certos serviços públicos aos seus habitantes. 

Segundo o censo nacional de 2010, sua área é de 8.427,5 km², o que a torna a maior cidade em área dos Estados Unidos. Sua população era (2010) de aproximadamente 31.000 e em 2013 passou para 32.700 habitantes e sua densidade populacional é de 4,4 hab/km².



É a terceira cidade mais populosa do Alasca.

A cidade possui cerca de 15.000 residências, que resultam em uma densidade de 1,87 residências/km².

Ao lado um quadro com a evolução populacional de Juneau. Note-se que no início da década de 80 houve uma variação muito grande, fato que manteve-se nas décadas seguintes.

Juneau fica no Sudeste de Alasca e é dividido em algumas ilhas.

Localiza-se a uma latitude de 58º18'07 ao Norte e longitude de 134º25'11 ao Oeste, ficando muito próximo da divisa com Canadá, ao Oeste, onde também há muitas ilhas.

Está localizado no nível do mar, mas tem muitas montanhas próximas.


Juneau, apesar de localizada no sudeste do Alasca, tem uma temperatura não tão agressiva, com uma média anual perto de 5°C.

No verão pode atingir 20°C, com muitas nuvens e muita chuva, principalmente em agosto e setembro.

A temperatura máxima registrada na história de Juneau foi 32°C, em julho de 1975, já a mínima foi em janeiro de 1972, com -30°C.

No inverno a temperatura é menor que 0°C, chove bem mais que no verão, pois a massa de ar frio vem trazendo nuvens carregadas.


A vegetação de Juneau é rasteira, pois as árvores não resistem a tanto frio, então a vegetação tundra é predominante, devido ao frio e o clima úmido. Já as árvores que suportam o clima são geralmente de pequeno porte, e raramente de médio porte.

Como há montanhas elevadas próximo da capital, há uma vegetação de altitude apresentando pequenas árvores nas montanhas.

Juneau está próxima da fronteira com o oeste do Canadá, porém não é fácil comercializar com os canadenses, pois apesar de estar no nível do mar, localiza-se em ilhas completamente montanhosas, dificultando a comercialização de produtos.


A navegação tornou-se o meio de comercialização mais utilizado em Juneau, pois Juneau se localiza próximo a algumas ilhas no Oceano Pacífico e alguns rios são navegáveis.

O porto de Juneau facilita ainda mais a comercialização de produtos, mas como os rios navegáveis são muito estreitos, então só passam navios de pequeno ou, talvez, de médio porte. Às vezes, o navio (principalmente de médio porte) precisa diminuir um pouco a velocidade para passar sem perder o controle.


Acima e abaixo: Peculiaridade de algumas estradas/rodovias no Alaska, em Juneau não seria diferente - você sai da cidade e depois de alguns quilômetros ... OPA!!! A estrada acabou!!!  Cenas do Google Streer View da Point Bishop Dupont...


Antes das mercadorias serem tiradas, elas são verificadas por policiais. Outro meio de comercialização é por caminhões, onde existem policiais que verificam para ver se não há produtos ilegais e algumas drogas.

Como a região próxima é montanhosa, a comercialização é mais complicada e lenta. Além disso, a região tem muita neblina e curvas perigosas, o que pode causar graves acidentes se o motorista não estiver atento ao trânsito.

1 (um) Ponto turístico:


TELEFÉRICO DO MONTE ROBERTS


O Goldbelt Mount Roberts Tramway foi inaugurado em 1996 e opera de maio a setembro. 

É o único teleférico no sudeste do Alasca.


As gôndolas elevam-se cerca 1.800 pés da região dos Piers de naviso de cruzeiros em Juneau percorrendo através da floresta tropical ao topo da montanha, oferecendo vistas expansivas de Juneau e do canal de Gastineau.

O Mount Roberts Tramway é um dos teleféricos mais verticais do mundo e recebeu um prêmio pelo design de acessibilidade.


Estão totalmente compatíveis com ADA e podem facilmente acomodar hóspedes com conforto e segurança.

Página na Internet - clique na imagem para acessar:


JUNEAU POLICE DEPARTMENT


Endereço: 6255 Alaway Ave, Juneau, AK 99801, EUA
  • Identidade Visual do departamento nas Viaturas:




BLOG: Eu, particularmente acho muito bonito. Quando visualmente é feita uma conexão do serviço com a cidade (topografia/terreno) ficam espetacular. Sem contar que apesar da aplicação de várias ferramentas visuais, o resultado final não fica "pesado".

  • Uniformes e emblemas:





  • Mais viaturas...




  • Momento nostalgia: Viaturas do departamento no passado:



BLOG: Um breve comentário ... Pelo que notei, nos anos idos, os departamentos de polícia no Alaska usavam muito o AZUL na padronização visual de suas viaturas...

  • Página na WEB do departamento:


Muito bem, e como também sou um grande aficionado por mobilidade urbana, e em Juneau temos:

CAPITAL TRANSIT 

A Capital Transit é a empresa de transporte coletivo da cidade de Juneau. Conta com uma frota de aproximadamente 15 ônibus, e faz a ligação do centro de Juneau com bairros e distritos lindouros.

Página inicial na WEB Capital Transit

  • Alguns ônibus da frota (créditos nas imagens):




O padrão visual de frota aqui nas imagens (acima) mostra uma tendência bem simples, com o carro predominantemente branco com faixas em azul e amarelo (dourado), com o nome da empresa em azul nas laterais.

Abaixo, um "print" de uma das rotas (schedule) operada pela Nacional:

Linha (Route) para Douglas


E então, hoje (26) eu estava bisbilhotando na web, procurando mais informações sobre a Rotas, ônibus, e etc, sobre a Capital e me deparei com a notícia no JuneauEmpire.com:


Com quatro novos ônibus, Capital Transit está de "cara nova"... 

A reportagem tendo como protagonista um supervisor/chefe de manutenção da empresa, - Bob Vos - falando sobre os novos ônibus que a empresa adquiriu e que vão começar à operar ainda em neste mês de dezembro (2016). Crédito de Michael Penn (Juneau Empire):


Além disso, a empresa mudou sua identidade visual - veja acima - com uma postura mais abrangente e moderna nos carros, usando as cores azul e amarelo (dourado), marca da empresa, e com a adição de um novo logotipo, moderno, "clean":


BLOG: Nem preciso dizer que gostei muito. Tudo nesta vida precisa de um "UP", e de igual modo que vemos nos padrões de identidade nas viaturas policiais, a empresa de transporte de Juneau usou a criatividade para criar uma logo moderna, bonita, e com forte laço com a sua cidade, através das montanhas presentes no desenho e a cidade "encravada" entre elas. Muito Bom!!!


Bob cita entre outras coisas, a dificuldade de trabalhar com manutenção de veículos no rigoroso (úmido) clima de Juneau, cita ainda sobre os outros veículos da Capital Transit, e como se dará a substituição dos antigos pelos novos ônibus. Na foto acima, Bob demonstra a ferramenta de acesso à pessoas de mobilidade reduzidas.

Muito interessante a reportagem. Para ver na íntegra, clique em qualquer imagem acima, ou no link abaixo: 


BLOG: Sou um convicto apaixonado pelo Alaska. Juneau é uma das cidades que anseio em um dia, se Deus permitir, conhecer. Mas enquanto isso não acontece, vou viajando pelo GSView e vendo os programas ambientados lá nos canais Discovery... (risos)