Destaque da Semana

Destaque da Semana
Venda de camisas de futebol

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Wholetrain

Ao falar do VLT do Sobral, há alguns dias, um dos assuntos abordados foi o trabalho dos artistas OsGemeos nas composições do sistema, com artes aplicadas em homenagem à Belchior - Ilustre natural daquela cidade.

O Camisas & Manias resolveu escrever mais sobre o tema...


Primeiro ... Seus idealizadores:

Tudo começou lá em São Paulo, quando uma dupla de irmãos pintava uma estação de trem. 

“As pessoas queriam que a nossa pintura pudesse ser vista também na outra ponta do lugar. Como não podíamos pintar todas as estações resolvemos colorir o trem”, conta Gustavo. 


“Foi a solução perfeita para a questão. O suporte se locomovendo leva nossos desenhos para muito mais pessoas”

"Para ver nossos trabalhos, as pessoas tinham que pegar os trens e parar em determinadas estações”, lembra Otávio. “Aí começamos a pensar, junto com o ISE, outro grafiteiro de São Paulo, se não seria legal se, em vez disso, os trens levassem a arte para essas pessoas. Foi quando tivemos a ideia de pintar os próprios trens".


O próximo passo foi convidar grafiteiros do mundo todo para integrar o projeto e partir em busca de cada trem ainda cinza no país. Cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Natal, João Pessoa, Maranhão e Vitória já receberam esta visita colorida.

Mais conhecidos como: OSGEMEOS (1974, São Paulo, Brasil), Gustavo e Otávio Pandolfo, sempre trabalharam juntos. Quando crianças, nas ruas do tradicional bairro do Cambuci (SP), desenvolveram um modo distinto de brincar e se comunicar através da arte.


Com o apoio da família, e a chegada da cultura Hip Hop no Brasil nos anos 80, OsGemeos encontraram uma conexão direta com seu universo mágico e dinâmico e um modo de se comunicar com o público. Exploravam com dedicação e cuidado as diversas técnicas de pintura, desenho e escultura, e tinham as ruas como seu lugar de estudo.

No início dos anos 90 surgiram convites para intervenções públicas e exposições individuais e coletivas em museus e galerias do mundo inteiro.

Instituto de arte contemporânea - Gigante de Boston e Greenway

Em 2006 realizam suas primeiras mostras individuais nos Estados Unidos e Brasil. Desde então, já expuseram trabalhos e desenvolveram projetos em inúmeras cidades do Brasil, América do Norte, Europa e Ásia.

Trabalho em aeronave da companhia aérea GOL

O trabalho dos irmãos está ligado à sua vivência em São Paulo e mescla elementos desta realidade com um imaginário próprio e peculiar dos artistas, criando assim um universo lúdico e autêntico.


PROJETO WHOLETRAIN


Teve início em 2002, quando Gustavo e Otávio criaram painéis em estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Apesar de o Brasil ser um dos países mais liberais do mundo para o grafite, os artistas acreditavam que isso seria impossível, em função da burocracia ou mesmo da falta de autorização por parte das empresas.


Mas elas entenderam o incentivo de levar arte aos usurários dos trens e seguiram em parceria com o Projeto Wholetrain.

Em cada um dos lugares visitados, o time de artistas mudou.

“A ideia é estar sempre chamando pessoas diferentes para nos acompanhar. Isso é um ponto importante a ser destacado. Trouxemos muita gente boa que merece reconhecimento. Li várias reportagens sobre o Wholetrain em que afirmavam que tudo era um projeto d’Osgemeos e sua turma. Está errado. É difícil falar sobre patamares quando cada um aqui tem seu próprio estilo, caminho, trajetória de vida e escola. É uma mescla de referências e talentos do mundo todo”, desabafa Gustavo.


E ele está certo.

Popular pelas criaturas bizarras em escalas gigantes que pinta, Aryz veio de Barcelona, na Espanha.

Defendendo que todo artista deve dizer nunca para toda e qualquer limitação que exista, Francisco, ou Nunca, também integra o time.

Finok traz para cá uma fusão de culturas, fruto de suas passagens pela Índia, Europa e Estados Unidos.


A introspecção e frieza do cotidiano que permeia as obras de Kaur também são somadas ao trabalho, assim como as grafias em formato gigante de Gueto e toda a força e beleza que Cekis trouxe do Chile. 

Com centenas de trens pintados na bagagem, Vino, também de Barcelona, deposita aqui um pouco de sua vasta experiência. Ainda fazem parte da equipe os grafiteiros Coyo e Nevs.


O fato de todo o projeto não receber patrocínio do poder público é algo que chama bastante atenção. “Nunca fomos atrás disso e nem percebemos interesse por parte do governo ou do município, por exemplo. A única coisa que nos é cedida são os trens”, conta Gustavo.


O dinheiro que banca hospedagem, transporte e o material utilizado vem de uma empresa particular chamada EP7. “Ela é formada por colecionadores de arte, pessoas que entenderam a ideologia da gente e se apaixonaram pela ideia de levar arte através dos trens”


Ele ainda destaca que nunca foram procurados para pintar, a iniciativa sempre parte dos próprios artistas. “Acreditamos que o dinheiro do governo tem que ir para o povo. Para o usuário do trem, para quem utiliza o transporte. Que usem essa verba para melhorar o serviço, o próprio trem, o trilho, o ar-condicionado. Concordamos que se o sistema está ruim e precário, esse dinheiro tem de ser destinado a melhoria de tudo isso. A nossa parte a gente faz.


Com tantos estilos, traços e bagagens nas costas, o grupo precisou de um conceito. 

A ideia é representar elementos da cultura local em cada cidade que grafitam. Promover um diálogo entre nações. “Procuramos coisas ligadas ao folclore e à cultura popular. Para todos nós, principalmente para quem vem de fora, é muito interessante conhecer e entender o por quê de um personagem ter uma igreja na cabeça, por exemplo. A gente acaba inserindo tudo isso no que fazemos”.


"A ideia agora é estender o Projeto Wholetrain a todas as capitais do país e produzir um documentário, que já está em andamento", finaliza Otavio.


É claro que isso é só um resumo de tudo que essa galera já fez ou vai ainda fazer. Ficou curioso e quer ver mais? Então acesse no link abaixo a página oficial deles:


Completíssima, com matérias atualizadas, fotos, fotos, vídeos e todos os trabalhos e projetos estão lá. Fabuloso esse trabalho de levar cor (da vida! da cultura! da expressão!) para nosso mundo cada vez mais cinza...

Também tive como fonte uma matéria na:


Um grande abraço à todos e muita paz...

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Cruzeiro & Umbro - Coleção 2017/18


A Umbro e o Cruzeiro lançaram neste último domingo (25) seu novo conjunto de uniformes da equipe para 2017/18. O novo manto celeste foi exposto em uma estrutura na esplanada do Gigante da Pampulha para apresentar ao torcedor a nova camisa, que foi usada pela equipe na partida no próprio domingo contra o Coritiba, no estádio.


A inspiração veio nos tempos gloriosos vividos pelo Cruzeiro Esporte Clube.  A Umbro decidiu trazer de volta a emoção das importantes temporadas da década de 90, presenteando a raposa com novos uniformes. 


A Camisa titular é predominantemente azul e apresenta uma releitura que soma tradição e modernidade, inserindo grafismos do cruzeiro do sul em estampa frontal, com tom levemente escuro. O escudo segue a última tendência e continua com a constelação do Cruzeiro do Sul, "solta".


Além disso, o modelo trás homenagens das conquistas como a Copa Libertadores da América (1997), Copa do Brasil (1993 e 1996), Supercopa dos Campeões da Libertadores da América (1991, 1992), Recopa Sul-Americana (1998).


Já na camisa nº 02, manteve-se o branco como cor predominante, acompanhada de detalhes em azul, uma gola polo de caimento elegante usa friso azul em retilínea e peitilho triangular, unindo a alfaiataria da Umbro com o amor Cruzeirense. E também com o escudo somente com a constelação estampada.


O modelo também ostenta as mesmas homenagens já citadas anteriormente, em alusão aos títulos da década de 90 na camisa titular.


Agora, o bolso: As camisas já estão sendo vendidas na loja do clube no estádio. A camisa "versão torcedor" custa R$ 239,90. Ela também poderá ser adquirida na versão "game", com pano semelhante ao utilizado pelos atletas durante os jogos. Esse modelo custa R$ 289,90.


BLOG:

Primeiro: Vi muita gente na web criticando o fato de não "se ousar" na elaboração de uma arte para camisa e por aí vai... Certo. Em alguns casos, isso ocorre de fato. Mas em outros... não.


Calma, eu vou tentar me explicar...

Trabalhar com clubes tradicionais e de grande apelo, como é o caso de Cruzeiro, seu rival Atlético-MG, Flamengo, São Paulo e etc, apresenta um pouco de dificuldade, pois quase sempre as idéias dos designers vão esbarrar com o estatuto do clube. Aqui, no caso do Cruzeiro, temos isso bem forte.



Versão feminina em exposição

Senão me engano, as únicas vezes que percebi algo diferente disto, foram para terceiras camisas.


Dito, isso, retorno para "papear" sobre esse lançamento.




Essa idéia de estampa frontal diferenciada... Já vimos isso esse ano? Sim. Chapecoense 2017 (Titular). Mas isso, de maneira nenhuma, quer dizer que a ideia não é boa! Muito pelo contrário! Para podermos conceber uma "novidade", mesmo que seja tênue numa camisa que não pode ter muitas disparidades, até soa muito bem!



Só que a estampa poderia ser melhor trabalhada. Eu a vejo, e sinceramente, não me vem à mente uma homenagem àqueles uniformes da década de 90 do clube. Falta algo. O escudo segue o padrão que a fornecedora e o clube tem adotado nos últimos lançamentos, e temos os acabamentos, que sim, dão a força aos novos uniformes.


As etiquetas, a arte aplicada no grafismo da camisa II, nos ombros, a opção por diferenciar as golas nos dois modelos, a coroa aplicada embaixo do nome da Umbro por trás das golas... E o numerário moderno e personalizado (com mascotes ou escudos dos clubes) ... Aqui no caso: a Raposa!



Esse numerário da Umbro para este ano 2017/2018 em suas camisas - já disse, mas vou repetir - sensacional!


Assim, no cômputo final e geral, vejo com bons olhos, mas não impressionou. Depois entram os necessários (mas irritantes) aportes e aí é uma mistura de vermelho e amarelo com o azul profundo que é muito fo******a de ver!!! 


Curiosidade:

Como já está ficando frequente nestes lançamentos...

Pelas redes sociais, circulou uma possível camisa do Cruzeiro para esta temporada.

Ela relembra o modelo usado pelo time na Libertadores de 1997.

Na barra contém as duas taças do torneio (1976 e 1997) conquistadas pelo clube celeste, com o número 20 - homenagem aos 20 anos do título do bicampeonato.

Perguntando pela mídia na época se este modelo era mesmo o escolhido pela diretoria, o clube negou.

Ao final, ficam fotos da camisa em campo:

terça-feira, 27 de junho de 2017

HP - Campeão do Paraná Bowl IX

Rolou no último domingo, dia 25 de junho, a tão esperada FINAL paranaense entre HP e Brown Spiders - O Paraná Bowl IX - Cerca de 2.500 pessoas compareceram ao Complexo Esportivo Brown Spiders.


Sim... a vitória ficou com o HP que se sagra bicampeão do torneio. Ao final tivemos o placar de :


Quem não pôde comparecer, assistiu a transmissão completa da partida pelo Facebook da FPFA, com narração e comentários de Renan do Couto e Antony Curti, vindos especialmente e diretamente da ESPN. 

Foram contabilizados mais de 36 mil visualizações do jogo no Facebook e mais de 100 mil pessoas atingidas pela transmissão.

Maiores detalhes de como se deu essa festa da bola oval em Curitiba, pode ser conferida na página do Facebook da Federação Paranaense de Futebol Americano (FPFA) clicando nas imagens acima, ou no link abaixo.


BLOG:

A modalidade está crescendo vertiginosamente não só no Paraná como em todo Brasil. Mais e mais adeptos estão cada vez voltando seus olhos, e interagindo para conhecer mais deste esporte que está ganhando seu espaço em terras da bola redonda... Essa edição do Paraná Bowl foi uma das mais comentadas e seguidas. O pessoal envolvido (Federação, atletas, adeptos...) estão de parabéns!!!

Grande Abraço...
e Parabéns HP por mais um título!!!

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Metrô (VLT) do Sobral

Como grande apaixonado por mobilidade urbana, vez ou outra faço um post "sobre" ou "falando sobre" algum sistema de transporte em massa no Brasil ou no mundo.

Já tinha citado aqui, sobre o Metrô do Cariri e feito um post rápido sobre a Metrofor - falando sobre o Metrô de Fortaleza - mas não com detalhes sobre o sistema.

Hoje vou fechar a tríade. Falaremos um pouco sobre o:


O Metrô de Sobral é um meio de transporte público em formato de VLT (Veiculo Leve Sobre Trilhos) que atua na cidade cearense de Sobral, Brasil, operado pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos - Metrofor, empresa de capital social capitaneada pelo Governo do Estado do Ceará. Fundada em 2 de maio de 1997, a companhia é responsável pela administração, construção e planejamento metroviários no estado do Ceará, estando presente nos sistemas de Sobral, Cariri e Grande Fortaleza.


O sistema foi o terceiro a ser inaugurado no Ceará, tendo suas operações iniciadas no dia 22 de outubro de 2014, em operação assistida, e com sua operação comercial iniciada no dia 28 de dezembro de 2016. Atualmente transporta cerca de 1,5 mil passageiros por dia.


Precedentes...

As ferrovias na região de Sobral são utilizadas de forma esporádica para o transporte de cargas pela Transnordestina Logística.

Assim, com boa parte da capacidade de transporte ociosa e trechos de ferrovia abandonados, o governo do Ceará estudou a reativação do transporte de passageiros nas regiões do Crato/Juazeiro e de Sobral.

Em setembro de 2009 é apresentado o projeto do VLT de Sobral. Após a contratação de estudos junto a empresa MWH Brasil Engenharia e Projetos, o governo do Ceará adquire 5 veículos do tipo VLT da empresa Bom Sinal.


A licitação das obras civis do VLT é realizada entre novembro de 2010 e fevereiro de 2011. 


Orçada no valor de R$ 43,5 milhões, a licitação previa a contratação de uma empresa que deveria realizar a construção de 11 km de vias singelas (além de via duplicada na região das estações) e 11 estações.

Vídeo institucional com projeto:


Após a abertura das cinco propostas apresentadas, a licitação foi vencida pela empresa Engexata Engenharia Ltda. Uma outra licitação definiu o fornecimento de cinco veículos leves sobre trilhos, tendo sido vencida pela empresa Bom Sinal.


As obras para implantação do VLT foram iniciadas em março de 2011 e tinham previsão de conclusão máxima de 18 meses.

Entretanto, devido a problemas encontrados nos projetos e nas desapropriações, as obras sofreram sucessivas paralisações e se encontravam em fase de conclusão ainda em setembro de 2014, ou seja, cerca de 12 meses atrasadas em relação ao prazo original.


A previsão era que após concluído, o VLT de Sobral visse a transportar cerca de 5 mil passageiros por dia, sendo integrado a rede de ônibus já existente em Sobral.


Segundo estudos da prefeitura local, em 2018, o novo Sistema Integrado de Transporte Coletivo de Sobral transportará mais de 8 mil passageiros por dia.

Após meses de indefinição, o VLT de Sobral foi inaugurado no dia 22 de outubro de 2014, coincidentemente a apenas quatro dias da eleições daquele ano, servindo como plataforma política do candidato da situação ao governo cearense.

Nesse período, o sistema funcionou com abertura das estações às 08:00 horas e fechamento ao meio-dia, de segunda-feira a sexta-feira, gratuitamente, sendo uma fase necessária para que a população conheça as estações e o percurso das linhas.


Nesta fase inicial o VLT de Sobral funcionou com dois trens, um cobrindo a Linha Grendene, partindo da Estação Cohab III em direção à estação Novo Recanto. O segundo trem cobrindo a Linha Sumaré, partindo da estação Cohab II em direção à estação Sumaré.

Digrama com as linhas do VLT de Sobral

Em dezembro de 2016 é iniciada a operação comercial do sistema, passando a funcionar de segunda-feira a sábado, das 05:30 horas às 23:00 horas, totalizando quase 18 horas de serviço ofertado, diariamente.


Com a nova etapa, o VLT sobralense passa a atender integralmente às necessidades locais, alcançando os horários de pico no início da manhã e no fim da noite. Passaram a ser contempladas as pessoas que precisam chegar cedo às fábricas, ao comércio, hospitais, escolas e universidades, bem como os cidadãos que precisam se deslocar para casa após o fim do expediente nas repartições.


O valor da passagem passou a ser de R$ 3,00 a inteira e R$ 1,50 a meia.


Em fevereiro de 2017 foi anunciado pela Metrofor, duas novidades para o sistema sobralense: O sistema de bilhetagem eletrônica e os pacotes de passagens, onde os passageiros terão descontos progressivos ao comprar mais de uma passagem, de uma só vez.

Os descontos serão aplicados na aquisição de pacotes.


Os usuários poderão optar pelas opções de 02, 12, 26 ou 52 passagens. Quanto maior o pacote, maior o será desconto.



Nesse sistema, o valor da tarifa unitária – ou seja, aquela comprada na unidade ou em quantidade fora dos pacotes ofertados - não será alterado, e continuará em R$ 3 a inteira e R$ 1,50 a meia. Caso o passageiro queira comprar um dos pacotes ofertados, haverá aplicação de descontos que podem chegar até quase 30% do valor total.


Desde a apresentação do projeto, o VLT de Sobral é alvo de críticas do Ministério Público do Ceará, de alguns jornalistas e de parte dos moradores de Sobral.

Apesar da demanda local não alcançar o mínimo estimado para a implantação do VLT, o governo cearense insistiu na implantação do meio de transporte.

Vídeo de autoria de W. Macedo (Areial Photo and Video)

Após o início das obras, o Ministério Público Estadual do Ceará conseguiu paralisá-las por algum tempo sob a acusação de falta de estudos ambientais para a realização da obra.

Em novembro de 2012, o governo do Ceará admitiu o atraso das obras, culpando problemas com desapropriações, e confirmou que apenas 20% dos trabalhos estavam concluídos.


A inauguração do VLT foi marcada três vezes durante o ano de 2013, sendo cancelada em todas as ocasiões. Enquanto isso, o orçamento das obras passou dos R$ 54 milhões (2010) para R$ 90 milhões (2014).


Problemas operacionais...

Durante a fase de testes do VLT, um dos veículos não conseguiu realizar uma curva, por conta do raio de curva horizontal da ferrovia ser inferior ao realizado pelo veículo.

Interior da cabine de um dos VLT's

Para corrigir a curva, foram necessárias novas desapropriações. Além disso, depois se iniciadas as operações, outros problemas corriqueiros e normais, encontrados nas maiorias dos sistemas pelo mundo também se apresentaram: Acidentes com outros veículos nas vias, vandalismo, invasão dos trilhos por pessoas, animais ou veículos, entre outros...





Após o inicio da fase comercial o que mais se temia, e que por muito tempo foi alertado acabou ocorrendo, composições com pouquíssimos passageiros e até mesmo vazias circulam pelo cidade de Sobral quase que diariamente, levando diversas pessoas a questionar a real necessidade do sistema.




O VLT de Sobral conta atualmente com 2 linhas: Norte e Sul.

Com extensão total de 13,9 quilômetros, as linhas formam traçados que se tangenciam na Estação Coração de Jesus, situada na pracinha do campo dos velhos, que funciona como uma Estação de Integração.


Homenagem:

O projeto Wholetrain chega a Sobral, na zona norte do estado do Ceará, com uma homenagem ao cantor e compositor Belchior, falecido no em 30 de abril de 2017, e que é natural da cidade.


Idealizado pelos irmãos e artistas "OSGEMEOS" em parceria com o grafiteiro paulista "ISE", o Wholetrain leva arte às ruas das cidades por meio de grafite em VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos) e metrôs.



Em Sobral, os trens grafitados com frases e o rosto do artista sobralense já começaram a circular em 8 de maio.


Realizado em parceria com a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos, já foram pintados quatro VLTs em Sobral e quatro TUEs (Trens de Unidade Elétrica), que circulam nas linhas Sul e Oeste, em Fortaleza.

A próxima etapa deve ser a pintura de mais dois VLTs do Metrô doCariri, que circulam nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte.

Fonte:


O Camisas & Manias agradece muito sua visita...

Grande Abraço para todos!!!