Destaque da Semana

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

UBERLÂNDIA Esporte Clube-MG

Olá, pessoal... Dentro das camisas que já haviam sido postadas, antes que eu tivesse a alegria de contar com um equipamento mais potente, está esta simpática e bonita camisa do Uberlândia E.C., e então, segue mais um RECALL C&M:


Esta camisa foi uma compra impulsivamente visual mesmo – do mesmo jeito que a camisa da Caldense – principalmente pelo belíssimo elemento artístico do escudo estilizado alocado no ombro da peça. Foi mais uma dentre muitas camisas adquiridas na VALERRO ESPORTES.




Se você é um adepto, colecionador ou torcedor e procura camisas não convencionais de clubes brasileiros, esse é o canal. Pode conversar com o meu amigo Tigo... E o preço é "bãoooo"... Feito o “Jabá”, vamos a camisa:



Fundação do Clube: 01º de novembro de 1922.

Transcorria o ano de 1922. Na época, Uberlândia ainda era São Pedro de Uberabinha e vivia sob comando de dois grupos político-sociais rivais: Partido Republicano Municipal ("Cocão") e o Partido Republicano Mineiro ("Coiós"). Certo dia, após desentendimento com os partidários do "Cocão" pela disputa de quem iria tocar com sua banda de música (bastante comuns na época) durante partida realizada no campo da Associação Esportiva Uberabinha, os membros do partido dos "Coiós" decidiram então fundar um novo clube.




INFOBlog
Agenor Bino e Gil Alves dos Santos reuniram-se com os demais membros do Partido Republicano Mineiro na Vila Operária e fundaram o Uberabinha Sport Club, com as cores verde e branca.

Formação da equipe (1950-52)


Com o intuito de apaziguar o clima de guerra entre partidos locais, os representantes dos "Coiós" decidiram convidar o Sr. Tito Teixeira, pertencente ao grupo rival, para ser o primeiro presidente do clube. Anos mais tarde, a cidade mudaria de nome, assim como o clube, que passou a se chamar Uberlândia Esporte Clube.




Estádio(s):
Estádio Juca Ribeiro.
Capacidade: 7.000 pessoas.
Inauguração: 1933.
Proprietário: Uberlândia Esporte Clube.





Era propriedade do Uberlândia Esporte Clube, sendo usado apenas para treinos e jogos oficiais da categorias de base do clube.




O Grupo Supermercadista e Hipermercadista Bretas, comprou o estádio, demolindo-o para construir um moderno hipermercado.  Mas o Grupo Bretas preservou 2 das 4 arquibancadas do estádio.


Estádio Municipal João Havelange (Parque do Sabiá).
Capacidade: 50.000 pessoas.
Inauguração: 27 de maio de 1982.
Proprietário: Prefeitura Municipal de Uberlândia.



Inaugurado como Parque do Sabiá, em uma partida amistosa realizada entre as seleções brasileira e irlandesa. A seleção brasileira venceu por 7 a 0.


Em 1995, o estádio foi renomeado para Estádio Municipal João Havelange, depois de uma sugestão do vereador da cidade, Leonídio Bouças. Porém, a troca de nome não foi muito popular entre os fãs de futebol da cidade de Uberlândia, e o estádio ainda é normalmente chamado de Parque do Sabiá.




INFOBlog
O maior e mais tradicional adversário do Uberlândia Esporte Clube é o Uberaba Sport Club.




Juntos os dois fazem o clássico de maior rivalidade do interior de minas gerais, o clássico do Triângulo.






Mascote do Clube:  Periquito.









INFOBlog
Em 2007, o Uberlândia contratou os experientes jogadores: Viola (Paulo Sérgio Rosa,ex-Corinthians, Sociedade Esportiva Palmeiras, Santos Futebol Clube, e Seleção Brasileira) , Tico (ex-Paraná Clube) e Gilson Batata, além de assinar contrato de patrocínio com a Unitri.


Viola no dia da apresentação, em 2007.


Tudo isto visando o título do módulo II e, consequentemente, o acesso ao módulo I do futebol mineiro.






Layout mesclado em elementos básicos e com arte arrojada. Belíssimo escudo estilizado e com grafia moderna e extremamente chamativa alocada no ombro direito da camisa. Tecido leve, resistente. Cores muito bem aproveitadas. Arte lateral bacana. Escudo do clube magistralmente trabalhado e bem finalizado. Espetacular. A fonte numérica caiu muito bem. Estilo de colarinho arrojado, em formato “U” quadrado, valendo pela novidade. Etiqueta com elementos agradabilíssimos, como as bandeiras de Minas e do Brasil, bem como a etiqueta/pacth de originalidade do produto.



Não há muito o que desabone o projeto da Kickball, mas vale alguns pequenos apontamentos: com relação à gola/colarinho, que apesar da boa idéia de modernismo, ficou largo, estranho. Um modelo convencional caíria melhor na harmonia do conjunto. Senti falta (pasmem!) de algum patrocínio. O tecido é leve, porém retém suor com facilidade.



Estádio Juca Ribeiro em 1930


Obrigado por sua visita.  Até mais tarde, tchau!
Contra ... Sempre!!!

Nenhum comentário: