Destaque da Semana

Destaque da Semana
Venda de camisas de futebol

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Pets, a vida secreta dos bichos - "Pitaco" C&M


Sinopse ...

Max é um simpático e dócil cachorro que mora em um apartamento de Manhattan. Quando sua querida dona traz para casa um novo cão chamado Duke, Max não gosta nada, já que seus privilégios parecem ter acabado.


Uma rixa entre eles se inicia, mas logo eles vão ter que pôr as divergências de lado quando um incidente coloca os dois na mira da carrocinha. Enquanto tentam fugir, os animais da vizinhança se reúnem para o resgate e uma gangue de bichos que moram nos esgotos se mete no caminho da dupla.


Trailer ...


Elenco/Dubladores ...

Max: Louis C.K. e Danton Mello (Bras.)
Duke: Eric Stonestreet e Tiago Abravanel (Bras.)

Bola de Neve: Kevin Hart e Luis Miranda (Bras.)

AVISO do C&M: As observações e notas do blog, não são, de maneira nenhuma, o retrato ou consenso comum de opinião. É só uma simples e humilde opinião do blog, na forma de um simplório bate-papo cinéfilo.

< ALERTA DE SPOILER! >

Opinião do BLOG:

Seguindo uma tendência cada vez mais notória do segmento, “Pets” tem como premissa principal o foco naquela questão em que todos humanos que possuem um animalzinho de estimação se perguntam: - "O que meu pet faz quando saímos de casa? Como ele fica? O que ele faz? Como se comporta?"


Bem, isso (na ótica e opinião dos produtores) é realmente mostrado logo no início do anime, com a inserção de um grau cômico superlativo de comédia, que, convenhamos, é o que pede a obra.

Maxo nosso protagonista – se mostra um cão muito comedido no seu dia-a-dia, se restringindo à espera paciente da volta de sua dona (Chloe) ao lado da porta do de entrada do apartamento quase o dia inteiro. Todos os dias, como ele mesmo faz questão de frisar.


Porém, isso não é fato mútuo aos demais "pets" da vizinhança, que fazem verdadeiras loucuras quando se encontram sozinhos. Rola desde comilança desregrada, com direto a comida sumindo de geladeiras, bagunças generalizadas e eventuais quedas e quebras de aparelhos eletrônicos, vasos, peças em alguns cômodos.


Muito bem... Esta ideia, já daria o que falar, pois na prática os donos ao voltarem todos os dias de seus trabalhos ou afazeres, encontrariam suas casas bagunçadas e cairia por terra toda ideia do filme, afinal como é mostrado posteriormente, não há uma arrumação por parte dos bichos, para deixar tudo como estava antes...

Mas é um anime com outro tipo de apelo e alvo. E isso salva esta pequena tangente.


Aí... Quando Duke chega (na verdade, cai de para-quedas!) na vida de Max, temos uma virada surpreendente no layout do filme, e passamos a assistir um conflito pessoal entre os dois por busca da consolidação do espaço na casa e no coração de Chloe.

Essa briga faz com que, em um momento, por puro descuido de ambos, fiquem na mira do serviço de controle animal da cidade de Nova York, e acabem apreendidos.


Como dito antes, o filme faz uma extensão neste momento da ideia original do “que nossos animais fazem quando saímos de casa”, para um Thriller de resgate animal, de perseguição, novos personagens sensacionais – o coelho Bola de Neve é o melhor! – e muita ação, correria e cenas utópicas que só em um anime poderíamos aceitar...


Afinal, numa cidade com milhões de habitantes, você se deparar com animais roubando (do nada!) táxis e ônibus e dirigindo freneticamente por aí, sem aparecer uma pessoa, policial, nada ... Difícil.


Mas, galera... É um anime... Relaxa!

Ao final – claro que totalmente previsível – temos o retorno "quaaaaase" ao status de início do filme.

Com os antes inimigos mortais, Max e Duke, agora unidos pela amizade, depois da aventura vivida e do autoconhecimento de ambos – a história de Duke é legal – e com todos os donos chegando em casa e tudo como antes.


Ah, sim! ...  O nosso coelho subversivo, líder do submundo rebelde animal e totalmente empenhado em acabar com todos os “pets” conhecidos, acaba por se render ao afago de uma doce menina, e aceita virar justamente um “pet”... – delícia de redundância.


O único que se “ferra - digamos assim” é o Leonard.  A cena do flagrante se passa durante os créditos finais...


É um filme bacana, “fofo” – vamos assim dizer, mas fica só nisso.

Obrigado por sua visita... Até logo!

Nenhum comentário: