Destaque da Semana

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Rogue One - "Pitaco" C&M

ROGUE ONE - Uma História Star Wars

SINOPSE:

A história se passa 13 anos antes da destruição da primeira Estrela da Morte.

Seis anos haviam se passado após a extinção da Ordem dos Cavaleiros Jedis, o desaparecimento do jovem Jedi Anakin Skywalker, o surgimento do cruel Lorde Sith Darth Vader, como também o fato do Imperador Palpatine ter transformado a República Galáctica no temível Império Galáctico.

A galáxia agora se encontrava dominada pela ditadura, escravidão e opressão. O Império Galáctico, inicia então uma busca por pessoas que possam contribuir para a construção de uma super-arma - Tão poderosa a ponto de destruir planetas inteiros.

Rogue One conta a saga de um grupo de rebeldes que vai até as últimas consequências para se apossar dos planos de construção dessa arma.

ELENCO:


Felicity Jones como Jyn Erso: Uma jovem das ruas que está por conta própria desde os 15 anos de idade. Dona de grandes habilidades de luta e conhecimento sobre a Galáxia, ela é detida pela Aliança Rebelde e tem a chance de fazer algo útil.

Diego Luna como Cassian Andor: Um homem "estável e prático, que tem muita experiência em combate". Ele sabe como é enfrentar o Império, todos os dias, de forma efetiva e inteligente.

Riz Ahmed como Bohdi Rook: O piloto desse grupo da Aliança. Apesar de sua personalidade impulsiva e volátil, todos de sua equipe confiam em suas habilidades técnicas.


Ben Mendelsohn como Diretor/Almirante Orson Krennic: Do lado oposto da guerra, este vilão é um ambicioso e inteligente diretor imperial que pretende usar seu esquadrão de Deathtroopers para pulverizar a Aliança e cair nas graças do Imperador - enquanto tenta evitar a ira de Darth Vader.

Forest Whitaker como Saw Guerrera: Com um passado conturbado, ele tenta fazer a coisa certa usando medidas extremas e questionáveis. Saw está do lado da Aliança, porém Kathleen Kennedy deixa bem claro que ele não faz parte do grupo: é um aliado independente.

Mads Mikkelsen como Galen Erso: O pai distante de Jyn é dono de um conhecimento muito vasto, algo cobiçado tanto pela Aliança, como pelo Império.

Alan Tudyk como K-2SO: Um dróide completamente oposto ao C-3PO: confiante e durão, tem uma personalidade parecida com a de Chewbacca. Em busca de redenção, ele não se importa com a opinião alheia e diz sempre a verdade.


Spencer Wilding (corpo) e James Earl Jones (voz) como Darth Vader: Um lorde Sith impiedoso, usuário do Lado Negro da Força, comanda a galáxia e a Estrela da Morte com mão de ferro.

Donnie Yen como Chirrut Imwe: Um guerreiro espiritual dotado de habilidades que compensam sua cegueira. Ele não é um Jedi, mas acredita puramente na mitologia ao redor dos guardiões da Força.

Jiang Wen como Baze Malbus: Grande amigo de Chirrut, ele não compartilha dessas mesmas crenças, confiando sempre em suas armas.

TRAILER:


AVISO do C&M: As observações e notas do blog, não são, de maneira nenhuma, o retrato ou consenso comum de opinião. É só uma simples e humilde opinião do blog, na forma de um simples bate-papo cinéfilo.

PITACO do C&M
< ALERTA DE SPOILER! >

Não seria um exagero meu dizer que este filme - repito: na minha singela opinião, é um dos melhores da franquia até agora.

Evidentemente não estou pormenorizando os demais - Longe disso! - inclusive os clássicos, mas ... Rogue One me fez ficar ativo no sofá, enquanto a história se desenvolvia.


Primeiro, concordando com algumas outras matérias que li na Web, este filme retoma aquele gostoso clima de anos 70/80, com as naves, uniformes e aparelhagens tecnológicas mais rústicas – mas nem por isso sem ser atuais, com um toque de nosso moderno CGI – nos enviando instantaneamente para os primeiros episódios da saga.


E então temos a história e o enredo que nos brindam com um filme que deixa o lado mítico dos Jedis e a Força (apesar dela ser citada e até mesmo usada de forma bem tênue) e nos mostram uma guerra de verdade. Pessoas comuns, se unindo para cumprir uma missão perigosamente suicida, mas extremamente heróica.


Esse filme foca em batalhas mesmo, confronto real e imediato, em cenas muito bem inseridas, onde ficamos o tempo todo torcendo pela força rebelde. Temos heróis corajosos e limitados e um vilão (Diretor Orson) comedido, mas igualmente perigoso, malicioso e mortal.


Em suma, temos um filme que era necessário, tal qual um elo numa corrente, para unir fragmentos de capítulos de uma saga épica, sem ser piegas ou exagerado. Ou seja, na medida mais que certa!


E o principal: Sem passes de mágica.

Vale prestar atenção:

- Na personalidade diferenciada do andróide K-2SO...

K-2SO: Um andróide do império reprogramado pela Aliança com uma personalidade incrível

- Algumas "tiradas" cômicas dentro do próprio filme. Essa na imagem abaixo é muito bacana - Um "Deathtrooper" segurando um brinquedo logo no início do filme, quando buscavam a Jyn Erso ainda criança: Um bonequinho "Stormtrooper".


Pessoas comuns indo ao limite de sua possibilidade para cumprir uma missão e com consequências evidentes e reais par a história.


E aí, para completar os fãs da saga: temos as cerejas do bolo.

- Contemplamos que para derrubar um blindado imperial também pode-se atirar em suas pernas, sem precisar necessariamente de um cabo para derrubá-lo... (embora, vamos combinar: O clássico "embola pernas" no capítulo V é fenomenal!).

- As vultuosas cenas dos Cruzados Imperiais, das batalhas...


- As cenas – poucas – de Dart Vader são memoráveis, incríveis. A tomada final no corredor da nave é simplesmente... Vader!


E o take final com um saudosismo impressionante, ajudado integralmente pelo CGI, com a marca de uma fala épica, interligando esta histórica com o capitulo IV de Star Wars.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...