Destaque da Semana

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Crônicas do C&M [09.02.12]


Vez ou outra, o Camisas & Manias expõe opinião sobre alguns assuntos.

Hoje, dois assuntos na pauta:

- Terminal de São José dos Pinhais e sistema de Integração de SJP.
- Trem da SUPERVIA, Povo e Atitudes...

Faz um tempinho, numa manhã livre [o que está muito difícil ultimamente] tomei coragem e fui dar uma alô para meu amigo Rolderlei Pereira, que é o administrador do Blog Pico Pereira, que trabalha no Aeroporto Afonso Pena, aqui do lado, no município vizinho de São José dos Pinhais. Como optei por utilizar o transporte público, decidi ir via Terminal Urbano de São José [há um post aqui no C&M sobre o novo terminal do município – CLIQUE AQUI], para ver como estava hoje, o movimento por aquelas bandas.


O ponto principal que me intriga é o motivo pelo qual, em um mesmo município, em dois terminais, temos um cenário totalmente diferente. No terminal urbano central, mais novo, não há integração direta com as linhas que compõe sua operacionalidade. Através do uso do cartão transporte municipal é possível ter um leve desconto tarifário entre linhas, mas, ainda assim, não é gratuíto, como ocorre no sistema de Curitiba. Funciona mais ou menos assim: Você paga a primeira passagem, e depois ao embarcar em outra linha, paga uma porcentagem menor, ou metade do valor nesta segunda linha.


Para o pobre coitado [como eu] que não possui o tal cartão, essa regra é inexistente, e o pagamento de nova passagem é feita de forma integral.

Já quando nos voltamos para o Terminal Afonso Pena, a integração existe.  Bem, pelo menos na última vez que lá estive, existia. Não posso afirmar se algo mudou. Acredito que não. 

Terminal Afonso Pena [Foto: Google]

Entretanto, uma observação interessante para isso, é que no Terminal Afonso Pena, todas as linhas são operadas pela Auto Viação São José, exceto no tocante à linha São José-Colombo, que é partilhada com outras operadoras, mas mesmo assim, a integração nesta linha é total.

Por que em um mesmo município, temos duas modalidades de operação no transporte? O que uma região difere de outras? Isso soa muito estranho, realmente. Seria porque no terminal central há linhas da Sanjotur? Há a linha direta para Curitiba [Barreirinha] que é segregada com outras concessionárias? Juro que não entendo.  Obstante... Quem perde, sempre, é o povo.



O mobiliário estrutural do novo terminal ainda se encontra em bom estado. O vandalismo não afetou o terminal ainda, muito embora nos quase 40 minutos que permaneci lá, não vi nenhum tipo de segurança. O que vem à cabeça, ao observar o movimento dos usuários, é que o terminal não está em pleno uso de suas instalações, até mesmo pelo paradoxo do sistema de integração de linhas.



O intervalo entre os ônibus é preocupante. Algumas linhas fazem as pessoas praticamente “acampar” nas cadeiras. A linha que eu usaria, o Aeroporto I, por exemplo, demorou 45 minutos. Uma linha para o Aeroporto! Lamentável.


A linha Circular Centro, criada para melhorar e facilitar o trânsito de usuários do novo terminal à região central do município, que acredito, foi idealizada dentro de um projeto de integração, mas frente ao atual sistema, roda praticamente vazio. Em todas as vezes que observei, só visualizei 2 ou 3 pessoas no interior dos ônibus. Não sei, mas acho que esta linha opera com prejuízo, afinal não há sentido em pagar uma tarifa de R$ 1,00 e depois ter que pagar novamente para embarcar nas linhas no terminal. 


Sem contar, que, algumas linhas, como a Boqueirão-São José tem seu itinerário passando pelo centro, antes de ir ao Terminal Central. Ou seja: Minha conclusão final é que esta obra não foi tão benéfica assim para a população.


Tudo indica que seu caráter foi mais paisagístico, pois onde se localizava o antigo terminal, no centro, apresentava saturação.  Coisas do Brasil. Ah, Ufa... Finalmente meu busão chegou:


*   *   *   *   *   ********   *   *   *   *   *

Por falar em Brasil, outro assunto que me chamou a atenção foi a manifestação dos usuários dos trens da SuperVia hoje no Rio de Janeiro.

Antes de mais nada, A SUPERVIA tem sua culpa. Opera com trens velhos, e em sua maioria “sucateados”. Um bom exemplo é esta mesma composição que apresentou problemas hoje. Apesar de reformada e modernizada lá pelos anos de 1992, é originalmente dos anos 60.

Foto: Jorge A. Ferreira Junior (2002)

Ou seja, por mais que tenha sido modernizada, sua vida útil já deu. Este foi um exemplo. Fora as outras composições da SuperVia. A malha operacional é ENORME e sua manutenção é complicada.

Malha muito grande, para pouca operacionalidade

Eu entendo, porém, que se uma empresa propõe-se à assumir um determinado serviço, ou FAÇA BEM ou não FAÇA NADA. Ponto. Fato. 

Mas a POPULAÇÃO também tem sua culpa nesta novela. Quando a SuperVia disponibiliza novas composições, como os TU’s coreanos, por exemplo, ou mais recentemente com os Tu's chineses, o maldito VANDALISMO se faz presente, e material NOVO que poderia durar anos e propiciar conforto aos usuários, tem sua vida útil operacional reduzida drasticamente.

Composições coreanas

A composição mais nova da SuperVia: Made In China

Isso que não estou falando em mobiliário de estações, roubos de cobre e etc... 


Então, desculpem-me, mas... TODOS tem culpa.

Mas, vou enfatizar um ponto: Ou o povo redireciona sua RAIVA e DECEPÇÃO na forma de prostestos corretos para os locais certos, ou não vamos à lugar nenhum. Seria um lento e penoso PASSO de CARANGUEJO.


Porque estes protestos não acontecem em frente às Câmaras Municipais, Assembléias Legislativas, ou Palácios de Governos? 

Sabemos bem, pessoal, de quem é a culpa na maioria dos casos! 


Enquanto isso a população de bem, que é obrigada à conviver com bandidos e vândalos infiltrados [como no caso de hoje] ficar suscetível à esta influência e se deixar levar, cometendo atos de violência totalmente equivocados, será tudo, tudo, absolutamente tudo e definitivamente tudo, em vão.

A Polícia, que ultimamente é a grande vilã em caráter nacional, pois aonde chega é recebida à pedradas e pauladas, está ali e existe para coibir e recuperar a ordem das coisas, entre outros atributos.  Pessoal, isso é fato. E não vai mudar.


Pô! É o trabalho dos caras. E vamos combinar: Ganham mal para cacete para fazer isso e ainda por cima levar "pedrada na fuça"... Afinal de contas, ali no meio existem pais de famílias, de bem e que estão cumprindo seu dever, só.  Polícia aqui no Brasil só presta ultimamente quando a própria pessoa está sendo assaltada. Isso é egoísmo. Se você vai atirar pedras na Polícia, saiba que eles vão reagir com muito mais rigor. 


Qual é? É Guerra que estão querendo? Uma Guerra Civil?  Ou estão com inveja das reportagens das revoltas árabes? 

O pior é que cedo ou tarde vocês, bardeneiros disfarçados de cidadãos de bem,  vão conseguir... Só que vou deixar um pequeno aviso: O lado mais fraco vai  perder, e o lado mais fraco, normalmente, quer queiram ou não, nestes casos isolados é a própria população.

Enquanto isso os verdadeiros responsáveis pelo CAOS instalado em nosso país [Os nossos políticos] vão estar calmamente assentados no ar condicionado, bebericandos seus refrescantes drinks, consultando os gordos saldos bancários e rindo do povo. 

Está faltando moderação e inteligência por parte de uma parcela da nossa população.

O BRASIL é MAIOR que isso, gente! Nosso país é muito, mas, MUITO maior que isso. 


Pátria Amada, quando seus “filhos” se derem conta disso, bem... Aí, talvez, as coisas começem à se redirecionar para a normalidade e grandeza que vós, berço explêndido, mereçe! 

POVO BRASILEIRO: Recuperem o respeito mútuo, a alegria, a garra de trabalhar. Recuperem o AMOR ao país. Nossa maior doença hoje, não é Polícia, não é a falta de emprego, renda... É A FALSA DEMOCRACIA que vivemos. Pensem nisso. 

Obrigado pela visita, e torcendo para que tudo volte ao normal no nosso país.
A Bruxa está solta ultimamente...

Nenhum comentário: