Destaque da Semana

Destaque da Semana
Venda de camisas de futebol da coleção C&M

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ilhas Maldivas

VITRAL da SEMANA C&M

A República das Maldivas (em maldívio: Divehi Rajjeyge Jumhuria) é um pequeno país insular situado no Oceano Índico ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia, ao sul do continente asiático, constituido por 1.196 ilhas, das quais 203 são habitadas, localizadas a cerca de 450 km ao sul da península do Decão. A sua única fronteira real é com o território indiano das Laquedivas, a norte, mas são também os vizinhos mais próximos do Território Britânico do Oceano Índico, um conjunto de ilhas localizadas ao sul das Maldivas. Veja localização no diagrama abaixo:


Estão agrupadas em 26 atóis, cada um possuindo o nome de uma ou duas letras da escrita thaana. Seu nome seria derivado de maldwipa, no idioma malabar, onde mal significa "mil" e dwipa, "ilhas", ou do sânscrito Malaya(vara)dwipa, "ilhas de Malabar".


As Maldivas consistem de, aproximadamente, 1.990 ilhas de coral, agrupadas em uma cadeia de 26 atóis, ao longo da direção norte-sul, espalhados por cerca de 90.000 km², tornando-as um dos países mais dispersos do mundo. Para propósitos administrativos, o governo dividiu os atóis em 21 divisões administrativas.


A maior ilha do arquipélago é a ilha de Gan, que pertence ao Atol Laamu. No Atol Addu, as ilhas mais ocidentais estão ligadas por estradas sobre o recife, com uma extensão total de 14 km. As Maldivas tem um recorde mundial de ser o país com a mais baixa altitude do mundo, o ponto mais elevado está somente a 2,3 metros do nível do mar, e a altitude média do país é de 1,5 metros e a maioria do território habitado está apenas a um metro de altitude. A capital, Malé (Imagem abaixo), está somente a 90 centímetros do nível do mar e lá vivem cerca de 100 mil pessoas.



A vegetação e vida selvagem em terra são limitadas, mas são complementadas pela abundância de vida marinha. As águas em torno das Maldivas são ricas em espécies de animais de valor biológico e comercial. A pesca de atum é um dos principais recursos comerciais. As Maldivas tem uma grande diversidade de vida marinha, com corais e mais de 2.000 espécies de peixes.



Agora a temperatura:  O termômetro nas Maldivas varia entre 24 ºC e 33 ºC durante todo o ano. Embora a umidade seja relativamente alta, a constante brisa fresca do mar mantém o ar quente em movimento. Duas estações dominam o clima das Maldivas: a estação seca, associada à monção norte de inverno, e a estação das chuvas, que traz ventos fortes e tempestades.

Até nas estações chuvosas o panorama nas ilhas é paradisíaco.

As Maldivas são uma república presidencialista na qual o presidente é o chefe de estado e governo. O presidente é eleito por cinco anos, por voto secreto do parlamento e depois referendado pela população. O poder legislativo é exercido por um parlamento unicameral, a Majlis das Maldivas, composta por cinquenta membros, quarenta e dois eleitos por sufrágio universal e oito nomeados pelo presidente. Renova-se a cada cinco anos.


A economia das Maldivas foi durante séculos totalmente dependente da pesca e de outros produtos marinhos. Por esta razão a pesca tem sido e ainda permanece sendo a principal ocupação da população. Este fato também tem significado que o governo dá uma prioridade especial a seu desenvolvimento. Além da pesca, outra atividade que tem crescido durante os últimos anos é o turismo. Seu desenvolvimento tem criado direta e indiretamente muitas vagas de emprego, e tem gerado oportunidades de trabalho em outras áreas, como a indústria, por exemplo.


Acima...: Imagens de um complexo turístico nas Maldivas. Hotel e Restaurante com salões e suítes sob as águas. Que tal dormir ou jantar tendo o mar como paisagem? 

Aeroporto Internacional de Hulule

Um dos grandes vedetes turístico das ilhas, o Aeroporto de Hulule, a porta de entrada das Maldivas para o mundo, é uma ilha que mais parece um porta-aviões no mar. Situado um uma das ilhas próximas de Malê, forma um visual diferente dos aeroportos que estamos habituados.


A sua construção exigiu que a ilha que o comporta fosse ampliada com o aterro de corais. Há vôos regulares de Colombo (no Sri Lanka), Dubai (Emirados Árabes Unidos), Kuala Lumpur (Malásia), Joanesburgo (África do Sul) e vôos fretados de grandes centros europeus. No vídeo abaixo (visão de passageiro), pode-se vislumbrar a beleza dos conjunto de atóis das Maldivas antes do pouso:


O traslado é feito em um curto passeio de barco, helicóptero ou hidroavião, dependendo de qual região o turista vai ficar. Um serviço de balsas opera para as ilhas próximas, mas a freqüência dependente da demanda de usuários. A tarifa varia de poucos dólares para uma pequena canoa até grandes quantias em barco de velocidade.


De Hulule saem ainda, os vôos levando turistas para observarem as ilhas do alto. Vôos internos para o norte e atóis do sul também operam de Hulule. Há vôos regulares de transporte de carga, mas eles normalmente não levam os passageiros. No vídeo abaixo (agora no cockpit da aeronave) acompanhe uma aterragem em Hulule:


A Areje Maldivas International Airlines, é a pequena empresa aérea nacional e opera vôos para a Índia e Sri Lanka.


* * *  **  * * *


Porém nem tudo são flores nas Maldivas.  Com o avanço desenfreado da poluição e do aquecimento global, estudiosos afirmam que a elevação dos ocenaos vai simplesmente "cobrir" as ilhas. Se as previsões mais pessimistas se cumprirem, os 300 mil habitantes poderão ter de abandonar definitivamente o seu território. É que as 1.192 ilhas que compõem o arquipélago das Maldivas não estão a mais do que 2,4 metros acima do nível do mar e a maioria do território habitado está apenas a um metro de altitude. Como vimos antes, a capital, Malé, está somente a 90 centímetros do nível do mar e, só ali, vivem mais de 100 mil pessoas.



Para se ter idéia da gravidade da situação: Em 26 de dezembro de 2004, as ilhas foram devastadas por um tsunami, que se seguiu a um forte terremoto, produzindo ondas de 1,2 a 1,5 metro de altura e inundando o país quase por completo. Ao menos 75 pessoas morreram, incluindo seis estrangeiros, e a infraestrutura se destruiu por completo em 13 ilhas habitadas e 29 das ilhas turísticas.



A falta de água doce, a pesca excessiva e a poluição dos navios são outros problemas que atualmente também estão começando à afetar estas ilhas.


[BLOG/VIANNA]: Um verdadeiro paraíso sobre a terra. O conjunto de ilhas que formam a República das Maldivas são pérolas sobre o mar. Um belíssimo local para se visitar. Pena que os problemas recorrentes do nosso desrespeito com o meio ambiente e futuramente a elevação nos níveis marítimos praticamente vão acabar com o lindo pais insular.  Mas até lá, quem tem a oportunidade de visitar... Será feliz...!!!

O C&M deseja uma ótima semana!!!
Obrigado pela visita... Tchau!

Nenhum comentário: