Destaque da Semana

quinta-feira, 19 de abril de 2012

A Hora da Escuridão

A hora da escuridão
(The Darkest Hour)

DireçãoChris Gorak.


Sinopse... Chegando em Moscou no meio a uma misteriosa tempestade de raios, os jovens empresários da Internet, Sean (Emile Hirsch) e Ben (Max Minghella) aterrissam na capital russa para ir atrás de sonhos comerciais neste novo centro econômico internacional, um lugar repleto de dinheiro novo, mas com práticas comerciais inescrupulosas.


Ao mesmo tempo, as turistas americanas Natalie (Olivia Thirlby) e Anne (Rachael Taylor) chegaram a Moscou involuntariamente, devido a uma escala não programada durante sua viagem rumo ao Nepal e resolveram se divertir, já que estão em uma das capitais mais badaladas da vida noturna mundial.


As duas duplas de amigos se encontram em meio ao brilho e glamour do "Zvezda Nightclub", o lugar mais badalado em Moscou, entre a galera internacional bonita e elegante, incluindo o jovem Skylar (Joel Kinnaman), o empresário sueco que deu um golpe em Sean e Ben.


Mas, essa "Meca" para os famosos, supermodelos e a elite das finanças reunida em Moscou, rapidamente se transforma numa cena de horror quando os alienígenas  invadem o planeta repentinamente e tudo fica às escuras. A luta pela sobrevivência começou.

Trailer

Elenco... Rachael Taylor, Emile Hirsch, Olivia Thirlby, Joel Kinnaman, Max Minghella, Dato Bakhtadze, Yuriy Kutsenko, Artur Smolyaninov.



BLOG...:

Invariavelmente me deparo com algumas “pérolas” desconhecidas. Foi exatamente o caso deste “A Hora da Escuridão”. Outro filme russo de produção/origem americana. Eles estão tentando, eles estão tentando!!!... Já ocorreu situação semelhante com “Trovão Negro”.



Aqui, temos a história embasada no “cult” do momento: Invasões colossais e apocalípticas alienígenas, só que ambientada em plena Moscou, e não em L.A. ou NY... Mas o filme não passa de bonzinho, e olhe lá!!! É muito fraco tecnicamente, e possui muitos clichês e alguns errinhos básicos.


O maior absurdo, no meu entendimento, foi ver a “obstinação ferrenha” dos protagonistas, ante ao ataque avassalador de criaturas invisíveis e que “incineram” uma pessoa ao simples toque, de tentar chegar na Embaixada Americana procurando a salvação (!!!)... Afffff... Do jeito que o ataque dos aliens se inicia, a forma mortal e a quantidade deles que desceu do céu... Sinceramente, pessoal... Acreditar que a embaixada iria escapar incólume, é no mínimo audacioso... Nem o Rambo! A Terra estava Fud*****da!!! Na boa!!!


Aí, do mais no filme, acontece o de sempre...


Dá maior "dó" ver um pobre cachorrinho virando “pó” em determinado momento do filme... E essa parte do filme gerou até mesmo um cartaz publicitário muito engraçado:




Como de praxe a maior parte dos protagonistas vão morrendo durante o filme e sobram alguns poucos "sortudos" que normalmente se apaixonam no final e blá, blá, blá, blá...


O filme vale muito mais pelas cenas panorâmicas e externas de Moscou (Uma bela capital!). Em uma sequência (fotos abaixo) podemos ver com detalhes uma das belíssimas estações do sistema de metrô da cidade. E o filme vale também por algumas cenas que de tão toscas, chegam à ser engraçadas.


Não vou dizer que o filme é “trash”, vai... Em quase todo momento você vai se deparar com "clichês bairristas" do tipo : - "Moscou é assim" ou "Moscou nos protege"... Sentimentos bem pátrios e exagerados... Mas, entretanto, esperem que ele entre na grade da sessão da tarde. É a melhor pedida, e numa tarde chuvosa.




Até mais tarde! Tchau...

Obrigado pela sua visita...

Nenhum comentário: